Evento Neutro
Prêmio Caio Sustentabilidade

Prêmio Caio 13ª Edição

Case: NOS TRILHOS DA HISTÓRIA | THÁ
Candidato: Atmosfera Eventos
Cliente: Thá
Segmento: Eventos
Estado: PR
 
Capa Apresentação Conteúdo Apresentação de inovações tecnológicas e estratégias indicando Desafios e Soluções Retorno sobre investimento, geração de negócios e outros indicadores econômicos
Trilhos da História Tha

O Grupo Thá, que completou 117 anos em 2012, é considerada líder no setor de incorporação, engenharia/construção e imobiliária em sua região e uma das mais antigas empresas neste setor do Brasil.
Apesar deste histórico, o Grupo Thá só recentemente entrou no mercado de Londrina (PR) e ainda é pouco conhecido na cidade. Por essa razão queria realizar uma ação diferenciada para as festividades de final de ano. A ação teria que ser criada em volta de uma ação cultural/artística, trabalhando a presença da Thá na história de Londrina
Com efeito, o Grupo Thá orgulha-se de ter participado da história de Londrina, sendo responsável pela construção da nova então nova Estação Ferroviária, iniciada em 1945, um dos mais emblemáticos e belos prédios do município. 
O funcionamento da Estação perdurou, por décadas, como uma marca de progresso do Norte do Paraná. Até que com o crescimento da cidade, nos anos 70, foram planejadas obras para modificar a ferrovia. Os trilhos saíram do Centro e a antiga Estação passou a ser propriedade da Prefeitura de Londrina, e mais tarde foi transformada no Museu Histórico de Londrina Padre Carlos Weiss.
A central de vendas da Thá possui em sua arquitetura uma grande empena em seu jardim externo e, por essa razão, optamos por trabalhar com a técnica de Grafitti.
O Grafitti é o nome dado às inscrição caligrafada ou a desenhos pintados ou gravados sobre um suporte que não é normalmente previsto para esta finalidade, como por exemplo: paredes.
Por muito tempo visto como um assunto irrelevante ou mera contravenção, atualmente o grafite já é considerado como forma de expressão incluída no âmbito das artes visuais, mais especificamente, da arte urbana.
Durante 30 dias um grupo de artistas, liderado pelo arquiteto e designer Christian Steagall-Condé, produziu um painel de 45 metros quadrados, utilizando-se de diferentes técnicas de grafitti, retratando com fidelidade as características arquitetônicas do Museu Histórico de Londrina. A obra foi revelada e concluída ao vivo em um coquetel exclusivo realizado para 200 clientes, na central de vendas e permaneceu exposta até início de fevereiro de 2013. Concomitantemente ao painel, a Thá promoveu uma mostra de fotos da cidade produzidas pelo Fotoclube de Londrina.

Galeria de imagens
Pre produção do painel
Pre produção do Painel
Produção do painel
Produção do Painel
Materiais
Detalhe | produção
Produção Video em Time Lapsed
Detalhe do painel
   

 

:: Arte, história e arquitetura ::

O grafitti chegou a Londrina, cidade do Norte do Paraná que consegue combinar como poucas no País a pouca idade com um efervescente caldo cultural, na década de 1990, pelas mãos do arquiteto e designer Christian Steagall-Condé. Com a participação de alunos de arquitetura, o então professor de Arquitetura espalhou por muros e paredes da cidade um dos ícones mais significativos da recente história do município, casas construídas em peroba, madeira que virou símbolo das primeiras décadas de Londrina.
São as casas de madeira, que se tornam mais raras a cada ano, que melhor representavam o perfil da jovem cidade. Abundante na região, a peroba é uma madeira de lei, capaz de resistir décadas ao sol e à chuva, igualmente abundantes no Norte do Paraná. De quando foram feitos os primeiros grafittis até agora, cerca de 80% das casas de madeira existentes em Londrina foram transformadas em lenha ou móveis rústicos.
Desde a experiência na década de 1990, o arquiteto Steagall-Condé alimentava um sonho de reativar a técnica dentro de um conceito renovado, porém fiel à proposta inicial. Ao invés de homenagear um tipo de arquitetura, tratar de um imóvel, com suas características arquitetônicas, suas referências, influências e sua importância. Ele imaginava, entre outros, grandes prédios como o da antiga rodoviária de Londrina, hoje Museu de Arte, ou a antiga ferroviária, hoje Museu Histórico.
O Grupo Thá, que completou 117 anos em 2012, é considerada líder no setor de incorporação, engenharia/construção e imobiliária em sua região e uma das mais antigas empresas neste setor do Brasil. Porém, o Grupo Thá entrou recentemente no mercado de Londrina (PR) e ainda é pouco conhecido na cidade. Por essa razão queria realizar uma ação diferenciada para as festividades de final de ano. A ação teria que ser criada em volta de uma ação cultural/artística, trabalhando a presença da Thá na história de Londrina
Com efeito, a empresa queria reforçar seu vínculo com o município, através da sua grande obra na cidade, exatamente a estação ferroviária, inaugurada em 1950. Detalhe importante: quando foi inaugurada a estação, Londrina contava apenas 16 anos como município. Um lugarejo até meia década antes, agora contava com um dos mais belos terminais ferroviários do País.
Para o artista, foi a decisão que chegou pronta, com a melhor opção possível. A antiga estação ferroviária é o prédio mais imponente e emblemáticos de Londrina. A proposta, agora, passou a ser fazer uma releitura da arquitetura da fachada do prédio, respeitando suas características e traços e, ao mesmo tempo, lançar sobre tudo a mão do artista – nesse caso, dos vários artistas que participaram do projeto.
Arte, história e arquitetura foram reunidos no grande painel que transpôs para a central de decorados da Thá o mais imponente prédio de Londrina.
Durante 30 dias um grupo de artistas, liderado pelo arquiteto e designer Christian Steagall-Condé, produziu um painel de 45 metros quadrados, utilizando-se de diferentes técnicas de grafitti, retratando com fidelidade as características arquitetônicas do Museu Histórico de Londrina. A obra foi revelada e concluída ao vivo em um coquetel exclusivo realizado para 200 clientes, na central de vendas e permaneceu exposta até início de fevereiro de 2013. Concomitantemente ao painel, a Thá promoveu uma mostra de fotos da cidade produzidas pelo Fotoclube de Londrina.


:: A escolha do tema ::

Como ligar a Thá à cidade de Londrina? Ao resgatarmos a história da empresa, revelamos que o Grupo Thá participou da história da cidade, sendo responsável pela construção da nova Estação de Londrina, iniciada em 1945.  Cumprindo todas as especificações do projeto, a empresa Thá Filhos, assim chamada na época, venceu a concorrência para a construção do desafiador projeto.

Designado para estar à frente das obras, juntamente com o Sr. Ernesto Lange, o empreiteiro Reinaldo Thá teve o papel fundamental de coordenar o trabalho que envolvia a construção de uma nova e ampla estação em alvenaria, com todas as instalações necessárias ao tráfego. O funcionamento da Estação perdurou, por décadas, como uma marca de progresso do Norte do Paraná. Até que com o crescimento da cidade, nos anos 70, foram planejadas obras para modificar a ferrovia. Os trilhos saíram do Centro e a antiga Estação passou a ser propriedade da Prefeitura de Londrina, e mais tarde foi transformada no Museu Histórico de Londrina Padre Carlos Weiss. 

Por essa razão, nossa homenagem à cidade de Londrina não poderia deixar de trabalhar um dos principais atrativos turísticos e históricos da nossa cidade.

A homenagem foi realizada na mesma semana que a cidade de Londrina completou 78 anos. Com este presente, Thá procurou fortalecer seu vínculo com a cidade e seu povo comemorando de forma diferente o aniversário de Londrina e proporcionando o resgate da sua história na cidade.



:: O Graffiti::

Para a realização da obra, convidamos o "UAU!Street" - um grupo informal que atua em intervenções urbanas, em especial Arte de Vanguarda, utilizando a cidade como mídia. Comandado pelo arquiteto Christian Steagall-Condé, suas primeiras intervenções datam de 1984 tendo, de fato, introduzido o Graffiti como linguagem artística em Londrina.
O foco das equipes multidisplinares, formadas à cada nova ação, concentra-se na valorização das empenas urbanas, combatendo o vandalismo, promovendo a valorização predial e inspirando-se em ícones da história e resgates da memória Pés-Vermelhas.

De acordo com Christian Stegall Condé:
"O Graffiti, à frente das demais manifestações artísticas, é a única linguagem que tem dado conta das nossas complexas e fragmentadas contemporaneidades:
Primeiro, por que recupera a noção de que as cidades são concepções fundamentalmente humanas e à estes elas se destinam.
Segundo, por que não somente o Graffiti imprime caráter, como impulsiona as fruições estéticas individuais, já que faz com que a arte chegue até às pessoas, quando em seus trânsitos, não importam os meios que os cidadãos se utilizem para os seus deslocamentos diários."

Para esse trabalho, optamos própria empena como "sketch-book", como numa imensa prancheta em branco, usando para isto o comum e barato giz escolar. Com as plantas originais nas mãos, os artistas ampliaram e transferiram o projeto à mão, em uma escala 2OOX maior, gerando o grid ortogonal para a execução final do Graffiti.
Como a remoção do painel estava implícita à ação, foi feita uma base espatulada em massa corrida construtiva, gerando uma tela branca como num quadro de pintura em canvas, contando inclusive, com relêvo. Essa técnica, na Renascença, ficou conhecida como "stucco", a mesma aplicada por Michelângelo no teto da Capela Sistina, no Vaticano. As tradicionais latas de spray foram trocadas por pincéis, tintas, e marca textos de maneira a demonstrar que a arte urbana pode explorar infinitos materiais e técnicas.


:: A entrega da obra ::

A apresentação oficial da ação seria realizada no dia 13 de dezembro com a finalização ao vivo do painel de grafitti.

No dia do evento também seria aberta a exposição do Foto Clube de Londrina, com uma seleção de 50 imagens da Cidade. A mostra compõe parte do projeto “Trilhos da História Thá” que ficou na central de vendas da Thá até o dia 31 de janeiro de 2013.

O Foto Clube de Londrina foi fundado há 41 anos e é considerado um importante centro brasileiro de fotografia amadora. Os visitantes da mostra puderam conhecer uma seleção especial de trabalhos que integram o vasto  acervo do clube, que reúne pessoas de todos os perfis unidas pela paixão pela fotografia e por fotografar.

Ao chegarem na central de vendas, os convidados eram recebidos por manobristas uniformizados e encaminhados ao evento por uma equipe de recepção.

Ao entrarem no evento os convidados que em sua maioria conheciam a central de vendas da Thá, foram surpreendidos por uma ambientação diferenciada. A central de vendas, normalmente muito clara, teve todas suas luzes apagadas e uma iluminação cênica foi trabalhada de modo a conferir um clima intimista e diferenciado ao evento, sem deixar de iluminar adequadamente os painéis, fotos e a obra de arte.

Vários paineis auto explicativos da ação estavam dispostos no espaço, permitindo que os convidados pudessem conhecer a história da empresa e sua participação na cidade, assim como explicando o conceito da mostra e da arte em graffiti.

O clima descontraído era reforçado por um repertório musical selecionado com Jazz, New Jazz e lounge music comandado por um DJ

A fachada da Central foi adesivada com fotos da mostra do Foto Clube de londrina e iluminadas, formando um belíssimo painel. Já a parede externa da central tornou-se em uma tela de cinema, com projeção das fotos da mostra, dos vídeos do evento e grafismos que eram desenhados em sintonia com a música ambiente, tudo isso em tamanho 16 x 4 m chamando a atenção não apenas do público presente mas também do público externo que passa em frente ao local. (Cabe aqui dizer que a central de vendas fica em frente à entrada/saída do principal shopping da cidade.)

Um breve cerimonial explicava o conceito do evento, e a história da Thá na cidade de Londrina. Para mostrar os 30 dias do desenvolvimento do painel foi produzido um vídeo em stop motion que pode ser visualizado neste link:
https://www.youtube.com/watch?v=l_nvkiOzf-I

Ao encerrar o vídeo, os artistas do painel revelaram sua obra pré acabada, retirando o tecido que o recobria. Então com luzes coloridas e trilha sonora, os mesmos concluíram a obra diante dos olhos dos convidados.

Uma vez concluída a obra, um fotógrafo profissional garantiu que todos pudessem registrar sua presença em frente ao painel.

O evento continuou com o coquetel e com a interação dos convidados com os fotógrafos da mostra e os artistas do painel, encerrando com sucesso o evento e dando início à mostra que ficaria exposta por mais de 30 dias na central de vendas da Thá.

Galeria de imagens
Mostra fotográfica | Foto Clube de Londrina
Mostra fotográfica | Foto Clube de Londrina
Fachada adesivada com fotos da mostra
Fachada adesivada com fotos da mostra
Mostra fotográfica | Foto Clube de Londrina
Mostra fotográfica | Foto Clube de Londrina
Cerimonial
Visão geral do evento - projeção na parede da central de vendas
Visão Geral do Evento
Artistas concluindo painel ao vivo
Conclusão do painel ao vivo
Conclusão do painel ao vivo
finalização do Painel ao Vivo
Painel de entrada
Painel Graffiti
Painel museu
Painel linha do tempo Thá
Painel |Sobre Londrina
Cartao Postal Frente (brinde)
cartao Postal verso (brinde)
Convite eletrônico
Painel de entrada
Entrevista com o presidente do Fotoclube de londrina
   

 

:: Vídeo em Time Lapsed ::

Como retratar para os 200 convidados os 30 dias que antecederam a elaboração do painel? Como garantir que os convidados não vissem o painel antes de sua finalização no evento? Para resolver esses problemas, criamos um vídeo condensando os 30 dias de trabalho em 5min de imagens, utilizando o conceito de time lapsed. A captação das imagens foi feita ao logo dos dias com 3 câmeras e editadas para que os convidados pudessem ver a evolução da obra até o estágio semi acabado que iriam ver no evento. Uma vez concluído o vídeo os artistas removeram os 50metros quadrados de tecido que cobriam a obra para então finalizá-la diante dos convidados.


:: Projeção ::

Para atender ao número de convidados dentro da central de vendas, tivemos que instalar tendas na área externa, onde foi produzido o painel de graffiti. Para assegurar que todos os convidados pudessem ver o vídeo sem dificuldade, projetamos simultaneamente todas as imagens e vídeos em 2 telas. Uma tela de projeção 3x2m na área interna da central de vendas e outro com mais de 10m x 4m na parede externa da central (ver fotos). Além disso, colocamos 2 TVs 42 polegadas em pontos estratégicos de modo que todos pudessem acompanhar o cerimonial do evento.


:: O Grafitti ::

O local para produção da obra artística era uma empena vertical revestida de porcelanato cinza, medindo 40m de comprimento por 6m de altura, situada ao ar livre a qual, após o evento, o painel resultante seria removido ou seja, era uma atração em cartaz temporário.

Tendo sido aprovada a arte, do desenho de uma imensa fachada vetorial do edifício histórico, o arquiteto obteve as plantas técnicas originais junto ao atual Museu Histórico de Londrina, que funciona no mesmo prédio-ícone que inspirará a arte proposta para o painel. Apesar de usarmos o graffiti como técnica, queríamos que o resultado final fosse o mais próximo do projeto original.
No ante-projeto, a equipe optou por usar a própria empena como "sketch-book", como numa imensa prancheta em branco, usando para isto o comum e barato giz escolar. Com as plantas originais nas mãos, os artistas ampliaram e transferiram o projeto à mão, em uma escala 2OOX maior, gerando o grid ortogonal para a execução final do Graffiti.
Para possibilitar a remoção do painel ao término da ação ação, foi feira uma uma base espatulada com massa corrida construtiva, gerando uma tela branca como num quadro de pintura em canvas, contando inclusive, com relêvo. Essa técnica, na Renascença, ficou conhecida como "stucco", a mesma aplicada por Michelângelo no teto da Capela Sistina, no Vaticano.
A obra-de-arte consumiu 30 dias de trabalhos manuais, sendo deixados 5% do total para o momento do evento.
No momento da remoção, foram feitos vários estudos para não machucar o porcelanato original e o painel pode ser integralmente retirado, sem resíduos.


:: Exposição fotográfica ::

Para assegurar a iluminação adequada das fotos expostas na mostra fotográfica, foram instaladas lâmpadas direcionadas no teto da central de vendas.

> O evento contou com mais de 90% de presença dos convidados mesmo sendo uma época com muitos eventos (dezembro)


> O retorno de mídia espontânea foi muito positivo, com veiculação em blogs, mídia impressa, televisão e rádio:

• “Grafite retrata Museu Histórico” - Jornal de Londrina | Dia 14 de dezembro de 2012 | Capa do caderno de cultura

• Painel em graffiti sobre o Museu Histórico de Londrina será entregue nesta quinta feira - O diário | 12 de dezembro de 2012 | Artes e Espetáculos

• Graffiti de 45m2 homenageia fachada do Museu Histórico de Londrina | O diário | Artes e Espetáculos | 5 de dezembro de 2012

• Grafite | Coluna Social Thiago Nassif | Folha de Londrina | 28 de dezembro de 2012

• Trilhos da História | Blog Paçoca com Cebola | 18 de dezembro de 2012

• Projeto “Trilhos da História” | Identidade Londrina | Agenda | 24 de Janeiro de 2013

• Fachada do Museu inspira Graffitti de 45m2 em Londrina | Cinemaskope.com | 13 de dezembro de 2012 - http://www.cinemaskope.com/fachada-do-museu-inspira-graffiti-de-45-m2-quadrados-em-londrina/

• Jornal da Tarobá 1a Edição - 14 de dezembro de 2012 | LINK PARA MÁTERIA - https://www.facebook.com/photo.php?v=137161989777570

- CBN Londrina: Painel em grafitti vai homenagear o Museu Histórico de Londrina | http://www.cbnlondrina.com.br/player-materia/painel-de-graffiti-vai-homenagear-o-museu-historico-de-londrina


> O investimento total nesse evento foi de 45.000,00 considerando

- Buffet para 200 pessoas com champanhe
• iluminação e sonorização
• Energia Temporária
• Mestre de cerimonias
• Impressão de convites
• Locação de móveis
• Decoração e plantas altas
• Fotografo
• Carregadores
• Manobristas
• Locação de tendas
• Iluminação das fotos
• Impressão de guias da mostra
• Painel explicativo da mostra
• Painel explicativo sobre graffiti
• Painel sobre Londrina
• Painel institucional Thá
• Cartões postais de recordação
• Flyers da mostra
• Produção artística
• Produção de vídeo em stop motion
• Projeção
• Assessoria de imprensa e mídias sociais
• Organização do evento.


Galeria de imagens
Fotoclube
Jornal de Londrina
O Diario
O Diario
Identidade Londrina
Paçoca com cebola
Cinemaskope
Entrevista na TV Tarobá
Entrevista presidente do Fotoclube
 

 

 
  • contato: (11) 2538-4156 - (11) 7377-8878