Prêmio Caio Sustentabilidade

Prêmio Caio 16ª Edição

Case: TIM REVOLUTION
Candidato: Pepper
Cliente: TIM Celular S.A.
Segmento: Eventos
Estado: PE
 
Capa Apresentação Conteúdo Apresentação de inovações tecnológicas e estratégias indicando Desafios e Soluções Retorno sobre investimento, geração de negócios e outros indicadores econômicos

A TIM, que ascendeu à vice liderança no Brasil em 2014, apostou, nos últimos anos, em uma estratégia agressiva de planos e serviços para alavancar esse crescimento e chegar a 26,93% do mercado de telefonia móvel.

Seus planos, mesmo no segmento pré-pago, refletem o posicionamento potencializador de experiências. A TIM acredita que o desejo de evoluir faz parte da natureza humana. Por isso, a marca se coloca como uma facilitadora para quebrar as barreiras do dia a dia e criar condições que potencializam essa evolução.
A empresa está dividida em dois macro canais. O Consumer, com vendas B2C e o Corporate, voltado ao segmento B2B. A melhora de desempenho comercial da TIM foi fruto de um grande esforço em reestruturação, equipe, produtos e divulgação focados quase exclusivamente no segmento de consumo. Com isso, os públicos do Corporate passaram a se sentir fora do foco da companhia.

Através de um extenso diagnóstico, a TIM identificou questões fundamentais para melhorar o desempenho desse canal. Com vários parceiros comerciais diferentes, linguagens e discursos diversos, baixa adesão à cultura corporativa, o canal tinha pouca unidade e identidade.
Os integrantes sentiam-se desprestigiados e pouco valorizados dentro da estrutura, sem planos customizados às necessidades de venda de seus clientes. As informações e estratégias não chegavam de forma uniforme na ponta abrindo espaço para interpretações difusas e consequentes erros. Algumas divisões disputavam os mesmos clientes gerando atritos dentro do próprio canal.

Para mudar essa história, a TIM resolveu reunir pela primeira vez seus públicos corporativos em uma convenção exclusiva (até então, eles contavam com um momento na Convenção de Vendas Business). A ideia era apresentar diversas novidades de estrutura, fortalecer a identidade e o sentido de pertencimento a um único grupo, desdobrar estratégias, metas, planos e abordagens e reconhecer os colaboradores com destaque e sinalizar importantes mudanças no mercado.
Foi assim que nasceu a Corporate RevolutiON – O futuro é a nossa conexão - uma convenção repleta de grandes momentos.


Título: Convenção Corporativa TIM
Tema: Corporate RevolutiON - O futuro é nossa conexão
Número de Participantes: 800px
Conceito: O futuro é nossa conexão
Local: Enotel Porto de Galinhas | PE
Data: de 23 a 26 de março de 2015
Descritivo: A primeira Convenção exclusiva para os públicos do canal corporativo da TIM - Corporate RevolutiON - que reuniu 800 pessoas para explorar o fut

Galeria de imagens

Nosso briefing era promover um encontro que pudesse ser um marco para o Canal Corporativo da TIM. Era preciso reforçar a unidade destes públicos de diversos locais do país, proveniente de empresas diferentes e em situações distintas. Nesse caminho, era necessário também valorizar seu trabalho e sua contribuição para a cia. e, ao mesmo tempo, inseri-los nos movimentos do mercado de telecomunicações onde a venda de voz vem sendo rapidamente substituída pela demanda de dados. Era preciso falar de conexão, conceito intimamente ligado ao DNA da TIM.

Nosso maior desafio foi encontrar um tema capaz de forjar uma nova identidade comum, sinalizar as mudanças na estrutura, ressaltar a importância do grupo para a TIM e ao mesmo tempo, traçar um panorama da situação do mercado. Isso tudo, mantendo a atratividade, uma pegada lúdica e uma linguagem simples de fácil adesão.

Assim nasceu a grande viagem Corporate RevolutiON – O futuro é nossa conexão. Um tema que partiu do grande fascínio que a humanidade tem a respeito do futuro para criar uma Convenção com pegada Sci Fi que convova, logo de cara, para uma revolução. Os convidados se transformaram em Força RevolutiON e deveriam embarcar em uma nave rumo ao futuro. O futuro ficou condicionado à conexão, ou seja, à união dos participantes. Mas em outro sentido, o futuro também passa pela conexão que eles, força de venda TIM Corporate, vendem. Eles têm, portanto, em mãos, o produto do futuro.

Durante 4 dias, eles experimentaram, em cada detalhe, o futuro. As atividades, os discursos, as apresentações reforçaram o conceito. Intervenções nas plenárias traziam o conceito mesmo para os conteúdos específicos de trabalho. No lazer, destaque para dinâmicas de grupo e as festas temáticas.

Acreditamos que o evento merece o prêmio devido ao cuidado com os detalhes, as grandes estruturas montadas com apoio de tecnologia e interatividade e, principalmente, ao seu conceito forte e alinhado que trouxe diversas significâncias importantes para a companhia sem abandonar o lado lúdico e envolvente que faz sucesso entre os participantes.

Galeria de imagens

 

O pré-evento foi um dos veios condutores do projeto. Através do hotsite, entravam em contato com o universo lúdico do tema candidatando-se a uma viagem rumo ao futuro. Ao confirmar a inscrição, eles podiam visualizar o restante da Força (demais participantes) e conhecer detalhes da viagem (Convenção).

Ao chegar ao hotel, para concluir o credenciamento e receber o kit de boas vindas, os convidados deveriam realizar um scan em uma das mãos simulando uma aprovação de entrada. Na brincadeira lúdica, promotoras circulando com tablets realizavam a ação introdutória do conceito. Neste dia, um jantar reuniu o público que foi propositalmente misturado para desconstruir grupos já estabelecidos. Enquanto comiam, um ilusionista interativo percorria as mesas realizando truques com tablets para quebrar o gelo e fomentar conversas.

O dia seguinte começou com uma abertura oficial do presidente da TIM Rodrigo Abreu. Os 800 convidados assistiram uma contagem regressiva que culminou com a entrada do presidente que falou do cenário do mercado, da importância da ocasião e dos planos para o segmento corporativo.

Logo após, os grupos se dividiram. Enquanto metade tinha tempo livre para curtir as belas praias e atividades do resort pernambucano, a outra metade iria para sua plenária principal. A tarde, a agenda se invertia. Transformamos o Teatro Amália Rodrigues em uma grande nave futurista com o apoio de mais de 50m de projeção linear. Ao entrarem na sala escura, os participantes escutavam instruções de uma voz OFF que anunciava a breve partida da nave RevolutiON. A projeção reproduzia os painéis e as escotilhas de uma nave. No centro do palco, uma tela rosco translúcida exibia um medidor de energia. Para que a nave decolasse, era preciso que todos os participantes dessem as mãos. Os sentados nas extremidades de cada fileira deveriam então apertar botões posicionados ao lado. A cada botão apertado, luzes surgiam simulando que a conexão das pessoas alimentava a nave. Com todos conectados, surgiu um grande ON na tela central. A projeção e efeitos sonoros reforçaram a partida e bailarinos representaram colaboradores do futuro realizando um espetáculo onde interagiam com a projeção da tela rosco central trazendo palavras e efeitos para dentro da viagem. A revolução decolou em grande estilo.

Outro destaque da noite foi o Astros Club, uma festa colaborativa onde os próprios convidados eram as atrações. No hotsite, através de uma área social, era possível estabelecer conexões para montar apresentações musicais. Quem cantava conseguia banda, quem já tocava instrumento montava grupos e combinava apresentações. Os participantes tiveram tempo para ensaio e passagem de som antes da festa, bem como o apoio de músicos profissionais para apoio.

Nos demais dias, as reuniões de trabalho tomaram conta da agenda, com 4 salas de programação simultânea. Algumas delas contaram com a adesão dos diretores, que fantasiaram-se guerreiros futuristas realizando uma entrada triunfal que levou seus grupos ao delírio. No foyer do hotel, o tempo todo, ficou disponível o espaço de parceiros. Fabricantes de aparelhos e parceiros de serviços ganharam um showroom inspirado em discos voadores que dava destaque aos produtos “do futuro”.

Outro grande destaque ficou por conta da festa de encerramento. A nave pousou em um planeta cheio de arte, diversão e cenários inusitados. Levamos os 800 participantes para uma noite inesquecível no Castelo do Instituto Brennad, localizado a cerca de 40 minutos de Porto de Galinhas. O Instituto e sua arquitetura mediaval reúnem um acervo de peças da época da ocupação holandesa no nordeste brasileiro e também a maior coleção de armas brancas do mundo.

Lá criamos uma festa com toques surreais onde o performers davam as boas vindas à tripulação da nave RevolutiON e os convidavam para uma noite repleta de surpresas. Além do cenário inusitado de um castelo, os participantes puderam fazer breves visitas guiadas à exposição permanente do Museu. De surpresa, o baiano Bel Marques subiu no palco levando a galera ao delírio. Seu empolgante show foi o encerramento perfeito para a primeira de muitas convenções do Corporate.

Durante toda a Convenção, os participantes puderam interagir com um perfil de Instagram exclusivo que registrava em detalhes os melhores momentos do evento.

Galeria de imagens

 

Para a primeira Convenção do segmento corporativo da TIM, foi montada uma complexa operação para receber os 800 participantes. Foram mais de 30 profissionais da agência envolvidos, 12 promotores locais treinados, 50 metros de projeção linear com mais 4 horas de conteúdo de vídeo simulando uma viagem espacial, quatro salas de conteúdo com operação simultânea, uma equipe de suporte para montagem e diagramação de apresentações, uma companhia de dança contemporânea que deu vida aos momentos artísticos desenhados especificamente para o evento, com destaque para a abertura da plenária onde os movimentos da dança sincronizavam-se com o conteúdo das telas. Foram usados os dois hotéis do complexo Enotel, com uma linha de transporte constante entre eles especialmente montada para a Convenção.

O público vibrou em diversos momentos e saiu de lá com ânimos renovados. A pesquisa apontou 92% de satisfação com o evento como um todo, 83% com atrações artísticas e 71% com conteúdo. Os dados apontaram também que cerca de 73% se sentiu prestigiado e que 58% consideram que o evento terá impacto positivo em seu desempenho futuro.

O conceito teve tamanha aderência que passou a ser desdobrado no pós-evento como uma campanha de endomarketing guarda-chuva para o público corporativo.

Galeria de imagens

 

 

Compartilhe: Twitter Facebook Linkedin Plaxo Youtube