Prêmio Caio Sustentabilidade

Prêmio Caio 16ª Edição

Case: IDA- WORLD CONGRESS ON DESALINATION AND WATER REUSE
Candidato: São Paulo Convention & Visitors Bureau
Cliente: IDA - International Desalination Association
Segmento: Eventos
Estado: SP
 
Capa Apresentação Conteúdo Apresentação de inovações tecnológicas e estratégias indicando Desafios e Soluções Retorno sobre investimento, geração de negócios e outros indicadores econômicos
Dossiê de Candidatura - IDA 2017

IDA - World Congress on Desalination and Water Reuse

O World Congress on Desalination and Water Reuse é um evento com perfil ICCA (#1072523), bianual e possui rotatividade internacional. O congresso é considerado como o principal evento para a comunidade global de dessalinização e reuso de água. O evento traz como foco as tecnologias de dessalinização e reuso para a produção de água potável a partir de água do mar ou água salobra, ou pelo controle de poluição, purificação e tratamento de água. O congresso mundial em sua 25a edição será promovido pela IDA - International Desalination Association, uma instituição que atende a um núcleo de mais de 2.600 membros em 60 países e alcança mais de 4.000 membros afiliados adicionais. Outro fato relevante sobre a IDA, é que ela está associada às Nações Unidas como parte de uma crescente rede internacional de organizações não-governamentais (ONGs).
A expectativa é de que o evento reúna aproximadamente de 1800 a 2000 pessoas, sendo que 700 é o número que representa o público estrangeiro (com mais 200 acompanhantes, também estrangeiros).

O histórico das edições anteriores revela a amplitude e importância do evento internacional:

2015 - U.S.A. San Diego, Ca
2013 - China ­P.R. Tianjin
2011 - Australia Perth, WA
2009 - United Arab Emirates, Dubai
2007 - Spain Maspalomas, Gran Canaria
2005 - Singapore, Singapore
2003 - Bahamas, Paradise Island
2002 - Bahrain, Manama
1999 - U.S.A. San Diego, Ca
1997 - Spain, Madrid
1995 - United Arab Emirates, Abu Dhabi
1993 - Japan, Yokohama
1991 - U.S.A., Washington DC
1989 - Kuwait
1987 - France Cannes
1985 – Bermuda

O evento captado em março de 2015, acontecerá em São Paulo em 2017.

Galeria de imagens
Plenária
Edições anteriores
Edições anteriores
Logo da entidade internacional
Edições anteriores
         

 

Vídeo


- Critérios de pesquisa e 1ª tentativa

A ideia que deu início ao processo de captação aconteceu em 2009 quando o evento foi encontrado como potencial para a cidade de São Paulo no banco de dados da ICCA. A procura proativa foi importante para se perceber que haveria chances de candidatura a partir de 2013. Estabeleceu-se então o primeiro contato – foi enviada uma carta a um membro do board da entidade internacional que residia no Brasil. Em consequência deste contato, ocorreu alguns meses depois a primeira reunião entre o São Paulo Convention & Visitors Bureau e o Sr. Emilio Gabbrielli. Contudo, o primeiro obstáculo apareceu quando o membro do board explicou que não havia membros brasileiros na entidade. Sem uma representatividade brasileira, dificilmente o evento aconteceria em São Paulo.

- Planejamento a longo prazo

Após quase três anos a diretora de eventos internacionais recebeu uma carta do Sr. Emilio afirmando que naquele momento seria possível uma postulação de candidatura pois o Brasil poderia apresentar maior representatividade (através de entidades brasileiras como a AESABESP - Associação dos Engenheiros da Sabesp, que se apresentou como proponente do 1º pleito e a Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental - ABES, entre outras). Ou seja, havia um momento de flexibilidade por parte da entidade internacional – IDA.

- Mobilização da academia e da iniciativa privada para fortalecimento da ação

Em 2012 então começa o primeiro processo para elaboração do dossiê e o preparo das visitas de inspeção para que o evento ocorresse em 2015. Todavia, é importante destacar que o São Paulo Convention & Visitors Bureau, ao perceber que não havia uma representatividade brasileira efetiva, providenciou de maneira independente um contato eficaz entre a entidade internacional e nomes relevantes do setor acadêmico para que a candidatura pudesse se tornar mais sólida. Ivanildo Hespanhol (professor da Universidade de São Paulo e diretor do Centro Internacional de Referência em Reuso da Água - CIRRA) e Professor Pedro Mancuso (Faculdade de Higiene e Saúde Pública da USP) foram exemplos desses contatos e que prontamente se ofereceram para nos apoiar.
Desde a primeira oportunidade, o SPCVB foi responsável pelo fortalecimento da candidatura, buscando diversos possíveis patrocinadores, apoios acadêmicos, empresas e órgãos relacionados ao reuso da água.
Em março de 2013 foi realizada a primeira visita de inspeção para 9 membros do board, durante a qual foi organizado na sede do SPCVB um encontro que reuniu 40 pessoas, entre eles os principais players do setor, unindo academia e iniciativa privada (potenciais patrocinadores) para demonstrar a união e representatividade do destino (vide fotos).
Foi então postulada a primeira candidatura, com o apoio da AESABESP (Associação dos Engenheiros da SABESP) onde concorremos com San Diego (EUA) e Catar. Nesta primeira tentativa, perdemos para San Diego – apesar de todo o esforço que incluiu várias reuniões, troca de e-mails (mais de 2.100) e visitas de inspeção.

- 2ª Tentativa com sucesso

Apesar de todo o processo não ter apresentado resultados positivos, o SPCVB não desistiu do evento pois sabia que ele impactaria de maneira muito positiva na cidade e no país. Por essa razão, as ações foram retomadas com a mesma intensidade para trazer o evento em 2017. Vários foram os obstáculos encontrados também desta vez. Para o preparo de uma nova postulação foram realizadas ações singulares e importantes como: 1) Uma viagem da diretora de eventos internacionais a Paris (2014) para uma prévia apresentação aos novos membros eleitos do board sobre a futura postulação de São Paulo. 2) Preparo de um novo dossiê de candidatura desta vez tendo a ALADYR Associación Latinoamericana de Desalación y Reuso del Agua - entidade com sede no Chile e responsável pelo pleito do Brasil), e dezenas de cartas de apoio governamental nos diversos níveis; 3) Organização de um evento satélite no Rio de Janeiro (conduzido pelo Sr. Emilio em 2015), para sensibilizar seus colegas do board e provar que o evento teria suporte financeiro através dos potenciais patrocinadores locais, bem como trazer o board para mais uma visita de inspeção a São Paulo a fim de mostrar que o Brasil era capaz de receber um evento desse porte.

- Por que devemos vencer?

Acreditamos que devemos vencer essa categoria porque após 5 anos de trabalho intenso, ações de parceria e tantas mobilizações, foi possível trazer o evento que consideramos tão importante na atual conjuntura hídrica do país e especialmente da cidade sede.

Galeria de imagens
Primeira reunião - 2010
Mobilização da academia e da iniciativa privada
Viagem a Paris - Apresentação de São Paulo
Viagem para Paris - Gala Dinner (SPCVB e IDA)
Mobilização da academia e da iniciativa privada no SPCVB
Primeira Visita de Inspeção com o board - Tivoli Café
       

 

- A primeira tentativa

O primeiro contato com o evento foi em 2009 e a primeira reunião com um membro da entidade em 2010. Porém, após todo o esforço em explicar o trabalho do SPCVB (por conta de entraves políticos e estatutários da entidade), apenas em julho de 2012 o processo tomou forma e iniciou-se uma busca por apoiadores (organizadores, órgãos brasileiros relacionados ao setor hídrico e nomes importantes na área acadêmica bem como setor privado).
Em 2013 foi elaborada a primeira visita de inspeção para o board da IDA (International Desalination Association). Contamos com o apoio de vários setores associados como organizadores, hotelaria, agências de turismo receptivo e transportadoras. Procuramos desta forma, fazer o melhor para o grupo e mostrar com clareza, todas as possibilidades que São Paulo teria a oferecer ao evento. Porém, após a mobilização de cartas, contatos, nomes importantes, representatividade e parcerias, e após a dificuldade (superada) relacionada à falta de uma entidade brasileira nessa área, foi decidido que o evento aconteceria em San Diego (Os concorrentes eram San Diego (EUA) e Catar). O representante da IDA que capitaneava a postulação para o Brasil, diante da possibilidade de perder por poucos votos, optou por uma aliança com San Diego, contando que o gesto seria benéfico numa próxima tentativa para o Brasil. Os esforços não pararam, afinal, toda ação de captação de eventos deve ser caracterizada pelo longo prazo.

- A segunda tentativa

A ideia de começar uma segunda tentativa iniciou-se logo após a vitória de San Diego. As ações dessa nova etapa - para trazer o evento em 2017 - começaram com uma viagem a Paris, (abril 2014), para reforçar a candidatura de São Paulo. Durante o evento “Global Water Summit: Water for Growth”, Elisabete Sorrentino distribuiu materiais promocionais de São Paulo e apresentou não só a infraestrutura da cidade como fez um relato detalhado sobre os problemas da seca no Estado de São Paulo (amplamente abordados pela mídia à época) e sobre a carência de tecnologias voltadas ao reuso da água.

Assim, alguns dos argumentos utilizados durante essa apresentação foram:

- A menção de que o Brasil não tem um evento nacional sobre dessalinização e reuso da água;
- A indústria brasileira de membranas e reuso apresenta expressivo crescimento;
- A troca de conhecimento técnico e científico no continente latino americano é necessária para seu desenvolvimento no setor e crescimento do mercado;
- Em 2011 o Ministério da Saúde aprovou uma portaria que estabelece a necessidade de um plano se segurança da água (PSA 2914) para todo o sistema de abastecimento de água que controla procedimentos e rege a vigilância da qualidade da água para consumo humano – baseada em recomendações das Nações Unidas;
- Não há alternativas de reuso de água previamente utilizadas. Apenas a engenharia sanitária poderá garantir a prevenção de doenças e promover a saúde sob a luz desse instrumento legal;
- O PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) previa investimentos de R$ 1.458 trilhões em saneamento, recursos hídricos entre outros;
- O problema da falta de água não se restringe a zonas rurais ou geograficamente mais vulneráveis e já atinge grandes centros urbanos como no caso de São Paulo.
- O país e a região oferecem terreno amplo para investimento no setor.

Aceita a candidatura, passou-se à elaboração de um novo dossiê, desta vez muito mais detalhado, contendo 135 páginas. São Paulo agora competia com Omã e Coréia. Foi agendada uma nova visita de inspeção (março de 2015) com 10 integrantes do board da IDA, alguns deles recém eleitos.
O plano estratégico da segunda tentativa de postulação também contou com uma importante ação do Sr. Emilio Gabbrielli, a realização de um evento satélite no Rio de Janeiro (previsto para março de 2015) para buscar uma sensibilização da entidade internacional e comunidade de membros. Durante esse evento, realizado imediatamente após a visita de inspeção a São Paulo o board se reuniu e decidiu que São Paulo seria a próxima cidade a sediar o evento IDA - World Congress on Desalination and Water Reuse. A partir disso, começamos também uma ação de promoção em San Diego (com materiais promocionais de São Paulo e vídeos sobre a cidade) para promover ao público a próxima edição desta vez já contando com o apoio da organizadora oficial ESA – Exclusive South America.

- O fator decisivo para a vitória

O fator decisivo para a vitória de São Paulo, foi sem sombra de dúvidas a persistência do SPCVB. Um evento desse porte e principalmente dessa área, posiciona de maneira positiva o país no cenário mundial, e este foi um dos fatores que nos impulsionou. Outro aspecto fundamental para que o objetivo final fosse alcançado, foi o apoio em tempo integral dos envolvidos. Primeiramente do Sr. Emilio Gabbrielli (Vice-Presidente da IDA) e de um parceiro, a empresa ESA - Exclusive South America, que nos apoiou irrestritamente com as visitas de inspeção antes de saber se seria escolhido como organizador oficial. Também contribuíram desde o início do pleito para a nossa vitória os parceiros: agência de turismo Levitatur, Transamérica Expo Center e Transamerica Hotel, Sheraton WTC, Restaurante Barbacoa, Terraço Itália, Hotel Tivoli e L’Hotel.

Galeria de imagens
Visita de inspeção - Barbacoa
Visita de inspeção - 2ª tentativa - Sala São Paulo
Reunião com o board no SPCVB
Visita de inspeção - Sheraton WTC
Segundo dossiê de candidatura
Slide da apresentação da cidade em Paris
Ação promocional sobre São Paulo em San Diego
Banner do SPCVB para ação promocional em San Diego
E-mail de agradecimento membro do board da IDA
 

 

- Retorno social

A importância de sediar um congresso desse porte, tem como aspecto principal a relevância do tema para a cidade, que traz à luz os recentes avanços tecnológicos e a presença em massa dos maiores especialistas e técnicos do setor, além é claro, do tamanho da audiência. O Congresso Mundial da IDA 2013, em Tianjin, China contou com mais de 2.000 participantes, por exemplo. Essa pode ser caracterizada como uma oportunidade única para a cidade de São Paulo uma vez que o problema da seca se faz presente no cotidiano da população brasileira. Da mesma forma, o evento será importante também para a disseminação da cultura brasileira aos visitantes estrangeiros representando 50% do total do público.

- Retorno Técnico/Científico e Sustentável

É importante destacar que além do aumento do fluxo de visitantes à cidade de São Paulo, a vinda do World Congress on Desalination and Water Reuse trará profissionais e empresas do ramo, altamente capacitados, influenciando de modo positivo o campo de estudo. Hoje, 40% da população mundial já sofre com a falta de água. De toda a água do planeta, 97,5% é água salgada dos oceanos. Somente 2.5% é água fresca. Desses 2.5% aproximadamente 69% é gelo do ártico o que deixa menos de 0,75% de água fresca utilizável. O tratamento e uso consciente da água é tema de fundamental importância para a população mundial e para nossa cidade que atualmente enfrenta o desafio da iminente falta de água. Desta forma, a tecnologia de dessalinização que transforma a água salgada em água potável para consumo doméstico e outros é de suma importância no cenário atual.

- Retorno econômico

O retorno econômico para toda a cadeia produtiva de eventos é elevado, contando que o número de participantes girará em torno de 2.000. Apenas em hospedagem, alimentação, compras e transporte, o gasto médio diário de um visitante é de R$ 550 (R$ 591 para visitantes estrangeiros e R$ 511 visitantes nacionais). Levando em conta que o evento terá duração média (com base em edições anteriores) de 6 dias, e participação de 2.000 pessoas, pode-se atingir uma quantia de até R$ 6.600 milhões. Um turista estrangeiro de eventos no Brasil gasta mais do que os turistas que vêm ao país a negócios, ou a lazer.

Outro ponto importante, e que fundamenta também o trabalho do SPCVB é a geração de oportunidade de negócios para todos os setores da cadeia produtiva de eventos. Essa ação começa desde as primeiras visitas de inspeção. Segundo a Organização Mundial do Turismo (OMT), um evento internacional pode demandar serviços de mais de 50 segmentos da economia, como transporte, hospedagem, lazer, alimentação, comércio e demais serviços especializados que um evento pode demandar ou oferecer.

O segmento MICE – Meetings, Incentives, Conventions and Exhibitions (encontros, incentivos, convenções e feiras) movimenta em todo o mundo mais de 30 bilhões de dólares por ano, segundo dados da Caribbean Tourism Organization e no Brasil, segundo o Observatório de Tursimo em seu anuário estatístico de 2014 reporta que a arrecadação de ISS do turismo corresponde a R$ 270,8 milhões, o equivalente a 2,5% do total de tributos (R$ 10,8 bilhões) arrecadados em todas as atividades econômicas.


Em resumo, o retorno sobre investimento em um evento como o Congresso Mundial da IDA é significativo, gerando inúmeras oportunidades de negócios (em variados setores), agregando visibilidade internacional para a cidade/país que o sedia, e da mesma forma, impactando positivamente na área social, com a troca de conhecimentos técnicos, científicos e culturais. Esse evento nunca havia acontecido na América Latina. Assim, é uma honra para todos nós.

Galeria de imagens
Agradecimento e confirmação
Visita do board ao Complexo Transamerica
apresentação de São Paulo no Hotel Transamerica
Site IDA - Confirmação São Paulo 2017
E-mail de agradecimento do Vice-Presidente da IDA ao SPCVB
         

 

 

Compartilhe: Twitter Facebook Linkedin Plaxo Youtube