Prêmio Caio Sustentabilidade

Prêmio Caio 16ª Edição

Case: RIOS DE SP 2017
Candidato: Globo
Cliente: Globo
Segmento: Prêmio Caio Sustentabilidade
Estado: SP
 
Capa Apresentação Conteúdo Apresentação de inovações tecnológicas e estratégias indicando Desafios e Soluções Retorno sobre investimento, geração de negócios e outros indicadores econômicos
Descobrindo rio oculto na Liberdade

A Globo é a maior produtora de conteúdo da América Latina e líder de audiência em todas as telas – só na TV aberta, 96 milhões de pessoas assistem a Globo todos os dias.

Hoje, alcançamos 99,6% dos lares brasileiros. Estamos presentes em quase todo o território nacional, através de 123 emissoras – incluindo 5 emissoras Globo e 118 afiliadas –, e em mais de 190 países. Anualmente, produzimos cerca de 3.000 horas de conteúdo de entretenimento e 3.000 horas de jornalismo.

Em suas operações, a Globo desenvolve uma cultura de sustentabilidade, atendendo aos requisitos legais, elaborando políticas, monitorando processos e volumes e apoiando a implantação de ações que mitiguem os impactos ambientais de nossas operações.

Dentre essas, merecem destaque a implantação do sistema de gestão ambiental nos Estúdios Globo e alguns números referentes a 2015 como redução de consumo de água de 16% (com uso de águas não nobres e de reúso na lavagem de espaços e regas de plantas), cogeração de energia (41% na energia utilizada nos Estúdios Globo), tratamento de efluentes (100% tratado e 54% utilizado no sistema de refrigeração) e gerenciamento de 17 mil toneladas de resíduos com destinação 100% adequada e autorizada pelo INEA.

Galeria de imagens
Exposição passa pela Av. Paulista
Voluntários durante ação na Liberdade
   

 

Faz parte da estratégia de comunicação da Globo realizar e apoiar iniciativas que permitam aproximar a marca do público, estabelecer um diálogo fora das telas e ampliar o relacionamento que as pessoas têm com a Globo.
Um dos pilares dessa estratégia é a sustentabilidade. A Globo aborda e levanta discussões sobre assuntos relevantes para a sociedade, como a temática dos rios com a iniciativa ‘Rios de São Paulo’. Essas questões são colocadas em pauta tanto com uma série de reportagens especiais que aborda com profundidade o tema, quanto com ações de Live Marketing que têm o objetivo de mobilizar e incentivar o protagonismo da população nessas causas.
De 22 de março a 03 de maio de 2017, sempre às quartas-feiras, a série ‘Rios de São Paulo’ foi ao ar nos telejornais locais de São Paulo – Bom Dia SP, SPTV 1ª edição e SPTV 2ª edição com uma importante discussão sobre como estamos tratando nossos rios. O repórter Filippo Mancuso entrou em galerias subterrâneas, navegou por rios poluídos, procurou entender a relação que a população tem com eles, e relembrou a história e importância dos rios para a cidade. Com a participação de especialistas e ativistas ambientais, a série discutiu as consequências da retificação e cobertura dos nossos rios e as soluções que podem ser colocadas em prática para amenizar o problema.
Para apoiar e reforçar essa discussão, uma exposição itinerante percorreu alguns locais da cidade. Ilustrada com fotos dos rios no passado e no presente, informações sobre os efeitos do plano urbanístico e as medidas que podem ser implementadas para amenizar os efeitos que o crescimento da cidade causou aos cursos d’água, a mostra estimulou uma reflexão sobre os rios em nossa vida. A exposição também ofereceu ao público uma expedição 360° na galeria do Córrego Cabuçu de Baixo com óculos de realidade virtual que garantiam o realismo da experiência. O vídeo também podia ser assistido no portal G1.
Como forma de impactar e sensibilizar a população sobre as centenas de rios e córregos da cidade cobertos pelo concreto para dar lugar a avenidas e edifícios, a Globo realizou uma intervenção em pleno centro de São Paulo. Com transmissão ao vivo no SPTV 1° edição e cobertura do Globocop, mais de 300 voluntários deram vida a um “rio” de quase 400 metros de extensão representado por um tecido azul na Rua dos Estudantes, no bairro da Liberdade. A ação mobilizou a associação de moradores da Liberdade, estudantes das universidades da região e contou com o apoio da Prefeitura Regional da Sé e da CET no fechamento de diversas vias.

Fruto de uma parceria da Globo com o IPT - Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado - o projeto ‘Rios de São Paulo’ foi lançado em abril de 2009 com uma série de reportagens especiais e um seminário com a participação de autoridades e especialistas. O projeto se baseou no exemplo bem sucedido de despoluição de um córrego em Seul, na Coréia do Sul. No mesmo ano, o flutuador, um equipamento capaz de medir a qualidade da água desenvolvido pela equipe de Engenharia da Globo junto com o IPT, fez pela primeira vez o percurso de 500 km pelo rio Tietê e passou por 30 cidades. Durante o trajeto, o equipamento foi acompanhado pelo “eco esportista” Dan Robson.
O projeto foi ao ar novamente em 2011, quando o flutuador voltou a percorrer o rio Tietê, desta vez contando com mais recursos: um sensor para medir a quantidade de oxigênio na água do rio, duas micro câmeras e um GPS. No fim da expedição, foi constatado um aumento nos níveis de poluição, em comparação com o que havia sido registrado em 2009.
De 22 de março a 03 de maio de 2017, a série ‘Rios de São Paulo’ voltou, e desta vez abordou o impacto da retificação e cobertura dos rios. Nesta edição, a iniciativa ganhou as ruas com atividades para sensibilizar e engajar o público sobre esse assunto tão relevante para a cidade e seus moradores.
Para abrir as atividades junto ao público, um flash mob mobilizou mais de 300 voluntários para dar visibilidade ao córrego Moringuinho. Um tecido azul de mais 400 metros cruzou 4 quarteirões da Rua dos Estudantes na Liberdade, sinalizando o curso d’água escondido pelo asfalto. A intervenção foi transmitida ao vivo pelo SPTV 1ª edição e contou com a cobertura do Globocop, que deu toda a dimensão da grandeza e impacto da ação realizada em pleno centro de São Paulo.

Entre os dias 26 de abril e 03 de maio, uma exposição itinerante levou o assunto de maneira ilustrada, didática e com recursos multimídia para locais que tem alguma relação com os rios, seja pelas enchentes ou por estarem cobertos e invisíveis ao público: CEU Aricanduva (Rio Aricanduva), Praça da Liberdade (Córrego Moringuinho) e Avenida Paulista (Córrego Saracura).

O grafiteiro Zezão, famoso por seus trabalhos inspirados no movimento das águas em canais de esgoto e galerias pluviais, foi convidado para um ‘live painting’ de um dos painéis da exposição. Zezão também foi o guia da expedição 360° na galeria do Córrego Cabuçu de Baixo, que com óculos de realidade virtual atraíram e envolveram o público garantindo a imersão na experiência. O vídeo também está disponível no portal G1.
Para completar a exposição, a iniciativa RIOS & RUAS ofereceu a oficina Rios Des.Cobertos de São Paulo – uma aula aberta com um mapa de 9m² da malha hidrográfica da cidade para dar a dimensão da imensa quantidade de rios que correm sob nossos pés.

O jornalismo local da Globo se aprofundou no tema entrevistando dezenas de especialistas, produzindo mais de 160 minutos de conteúdo, que resultaram em 20 reportagens e inúmeras entradas ao vivo.
A pergunta lançada pelo projeto: “O que fizemos com os rios da nossa cidade?”, ficou no ar durante todo o período da série de reportagens. Esse questionamento estimulou a discussão, o olhar e o cuidado com os rios, córregos e cursos d’agua da cidade. O tema ganhou as ruas, as universidades, as escolas, e fez com que a população colocasse o assunto em seu cotidiano. Uma reflexão importantíssima para o futuro sustentável da nossa cidade.
Milhares de pessoas conferiram a exposição e compartilharam a ação em dezenas de posts nas redes sociais multiplicando para mais pessoas esse debate.
O flash mob realizado para impactar a população sobre os rios invisíveis, mobilizou um bairro no coração de São Paulo, a Liberdade. Mais de 300 pessoas entre moradores, estudantes universitários, comerciantes e associações culturais se envolveram, mesmo embaixo de muita chuva, vestiram a camisa e levantaram a bandeira dessa causa, literalmente. Além de levar a mensagem para as pessoas próximas ao local da ação, milhões de pessoas foram impactadas através do jornalismo da Globo, que transmitiu a ação ao vivo no SPTV 1ª edição.
Para realizar o flash mob num horário de grande movimento nas ruas do bairro, uma complexa operação foi articulada com a CET e a SPTrans.

 

Compartilhe: Twitter Facebook Linkedin Plaxo Youtube