Prêmio Caio Sustentabilidade

Prêmio Caio 17ª Edição

Case: BIENAL DO LIVRO RIO REDUZ 50% DOS RESÍDUOS COM POLÍTICA DE GESTÃO
Candidato: GL events Brasil
Cliente: Snel
Segmento: Prêmio Caio Sustentabilidade
Estado: RJ
 
Capa Apresentação Conteúdo Apresentação de inovações tecnológicas e estratégias indicando Desafios e Soluções Retorno sobre investimento, geração de negócios e outros indicadores econômicos
A estação de reciclagem dentro da Bienal do Livro Rio

Sobre a Fagga GL events Exhibitions
Pioneira no mercado de feiras de negócios no Rio de Janeiro, a Fagga l GL events Exhibitions conta com um portfólio que reúne mais de 3 mil eventos realizados no Brasil e 250 no exterior. A empresa tem escritórios no Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais. Além da forte presença no eixo Rio-São Paulo, a Fagga consolidou sua presença em outros destinos do Brasil, especialmente os de apelo regional, como Minas Gerais e Bahia.

Sobre a GL events
Um dos maiores conglomerados empresariais do setor de eventos do mundo, a GL events chegou ao Brasil em 2006 e desde então vem expandindo seus negócios. Atualmente o grupo administra um portfólio de 12 empresas.
De origem francesa e com sede em Lyon, a GL events está presente nos cinco continentes (19 países), administra 40 espaços para eventos e realiza mais de 4 mil eventos por ano. No total, são 4,1 mil funcionários, dos quais 35% fora da França. No Brasil, a companhia mantém escritórios no Rio de Janeiro, São Paulo e Paraná.

Galeria de imagens
Os resíduos da montagem e desmontagem dos estandes também foram reaproveitados
       

 

Vídeo


Os princípios de gestão de resíduos sólidos que foram aplicados à Bienal do Livro foram:
- Gestão integrada de resíduos sólidos para garantir o aproveitamento máximo do lixo gerado. O mote era "Aterro Zero" - reciclar e reaproveitar o máximo do lixo para que nada fosse jogado nos aterros, que já são conhecido problema de saúde e saneamento;
- Proximidade e desenvolvimento local: diagnóstico das cooperativas de catadores e das destinações para os três tipos de resíduos (recicláveis, compostáveis e não recicláveis);
- Inclusão social, reconhecendo o papel dos catadores de materiais recicláveis por meio da integração das cooperativas.
- Controle social, para que toda a sociedade tenha acesso às informações e educação ambiental
- Prevenção e precaução: com os riscos ambientais já conhecidos, é possível mitigá-los. E, se houver ameaça de dano, ter um plano de monitoramento e lista de medidas a serem tomadas.
- Responsabilidade compartilhada, envolvendo todos os participantes, fornecedores e organizadores desde a concepção do projeto até a execução e finalização.

Galeria de imagens
A maior parte do lixo dos restaurantes virou adubo orgânico em uma ação educativa
       

 

O que vem primeiro, a cultura ou o meio ambiente? Para a Fagga GL events Exhibitions, ambos são prioridades. Uma gestão de resíduos sólidos responsável e integrada a toda cadeia produtiva garantiu que a 17ª Bienal do Livro do Rio destinasse corretamente o lixo e obtivesse redução de resíduos e custos.
Nas últimas décadas, a preocupação com o meio ambiente ficou ainda mais forte. Neste espírito de responsabilidade ambiental, a organização da Bienal do Livro precisava de uma gestão de resíduos que reduzisse o lixo gerado e contemplasse os seguintes pontos:
- Sensibilizar as partes responsáveis pela gestão de resíduos sólidos do serviço de alimentos e bebidas do evento para a importância da destinação do lixo;
- Apresentar um sistema de coleta integral de recicláveis coerente com a realidade do Rio de Janeiro e de grandes eventos.
Como estratégia de ação, seguindo o princípio de consumo sustentável e as diretrizes da Política Nacional de Resíduos Sólidos (inclusive na área de prevenção e minimização de geração de resíduos), a organização fez exigências aos fornecedores durante o planejamento do evento. Os fornecedores de alimentos e bebidas, principalmente, foram sensibilizados quanto à importância de atender a legislação vigente e melhoria nos processos internos de aquisição e preparação de produtos.
A expectativa inicial era alta: assumiu-se que pelo menos 70% dos resíduos gerados poderiam ser reutilizados, reciclados ou compostados. Eram previstos 150 expositores e a geração estimada de resíduos sólidos era de 144 toneladas (até o período de desmontagem), baseados na edição anterior da Bienal do Livro.

Como foi feita a coleta
O sistema escolhido foi a coleta seletiva simples, que divide os resíduos sólidos em dois tipos: recicláveis e não recicláveis.
A disposição dos coletores foi feita da seguinte maneira:
- Disposição para o público: sempre em dupla (lixeiras 120L): um para resíduos recicláveis e um para resíduos compostáveis/ não recicláveis.
- Sacos plásticos transparentes: resíduos recicláveis
- Sacos plásticos pretos: resíduo orgânico
- Sacos plásticos pretos - sinalizados: outros e resíduos de banheiro

Equipamentos e materiais de acondicionamento da coleta:
- Bombonas com tampa e lacre - 50l: óleo de cozinha usado
- Bombonas de 200l: vidros, lâmpadas e eletroeletrônicos
- Big-Bags 1.200l: resíduos recicláveis
- Caçambas de 30m³

Resíduos orgânicos
Espaço próximo ao Portão G: estrutura para biotransformação dos resíduos orgânicos separados nas cozinhas. Recebimento resíduos orgânicos previamente separados pelos restaurantes/ quiosques.
Quatro tendas, mesas de triagem, bombonas para coleta de chorume, big bags para armazenamento de recicláveis, triturador, betoneiras e bombonas de 60l com rosca e tampa para armazenamento de resíduos orgânicos. A compostagem de 2.560 kg de resíduos orgânicos foi feita in loco como ação educativa.
Óleo: foram disponibilizadas 60 bombonas de 50 litros com tampa, recolhidas de acordo com a necessidade de cada lojista.

Galeria de imagens
Os resíduos recicláveis já embalados corretamente
       

 

Os resultados são animadores: considerando a quantidade de resíduos gerados na edição anterior da Bienal do Livro Rio, houve uma redução de 50% e geração de renda para 29 participantes das cooperativas de catadores. Com isso, também tivemos uma redução de 63% no custo do evento.
O sucesso desta edição incentiva a continuidade e expansão das políticas de "Aterro Zero" para o futuro. Quem sabe não estamos mais perto de uma Bienal do Livro 100% reciclada?

Pesagem dos materiais (em kg)
Pet: 530,00
Alumínio: 709,50
PP misto 362,70
Plástico filme branco: 5.151,00
Plástico filme misto: 2.688,54
Papelão (caixas e embalagens): 22.395,91
Papelão (copos): 360,01
Papel misto: 4.469,04
Tetrapak: 27,20
Sucata em geral: 300,10
Rejeito (resíduos contaminados e dos WCs): 2.190,00
Total: 77.137,02

Resíduos da área de alimentação e bebidas (em kg)
Pet: 4.770,00
Alumínio: 2.838,00
PP Misto: 2.427,00
Plástico filme branco: 1.717,00
Plástico filme misto: 4.993,00
Papelão (caixas): 9.598,00
Papelão (copos e embalagens): 6.840,00
Papel misto: 1.117,00
Tetrapak: 652,00
Orgânico (triagem no local): 2.560,00
Rejeito (resíduo potenciamente reciclável contaminado): 12.410,00
Orgânico (triagem em cooperativas): 1.200,00
Total: 51.122 kg

Óleo Vegetal (litros): 680,00

Galeria de imagens
Foi gerada renda para 29 catadores das cooperativas
       

 

 

Compartilhe: Twitter Facebook Linkedin Plaxo Youtube